26 de dezembro de 2010

Super Liga Masculina: Um presente de Natal nada doce para Marcelinho e Rodrigão


Quando foi montado o time do Pinheiros, com o patrocínio da Sky, logo foi chamado de "galático" porém nunca correspondeu a altura o apelido, a impressão é de que falta o que popularmente chamamos de "liga" ou seja, unidade, cara de time, culpados? O primeiro a ser relacionado é sempre o técnico, mas no time paulistano não, os escolhidos foram Marcelinho e Rodrigão, talvez ainda o líbero Polaco.

Todos dizem desconhecer os motivos reais, não aceitam a simples declaração de que o problema é técnico. O meia de rede Gustavo Endres e o ponteiro Giba declararam estar vivendo uma das situações mais difíceis de suas carreiras, em ver companheiros de time e de seleção serem dispensados.

O técnico Mauro Grassa assumiu a responsabilidade pela dispensa, gerando comparações e críticas por todos os lados.

Para começo de história nenhum dos dois atletas poderá mais atuar no Brasil até o final da Super Liga, uma vez que as inscrições já se encerraram, o que tira o ritmo dos atletas ou os fará jogar fora do país.

Depois, vem a questão dos problemas internos do time, que todo negam, mas está estampado no volei jogado pelo time rodada após rodada. Marcelinho já havia sido dispensado uma vez, no time do Joinvile, quando Giovane Gáveo era o técnico, ( leia aqui)e declarou o mesmo do que hoje: " Não sei o que está acontecendo!"

Enquanto Rodrigão nunca esteve envolvido neste tipo de situação e é titular da seleção do Brasil, se ficar 5 meses sem jogar não terá condições de jogo e isso é ruim para o país.

Apesar de tudo e do que muitos vem dizendo eu acho que regra é regra, se a CBV abre exceções para este ou aquele atleta acaba prejudicando aqueles que não tem nome e outra, o clube tem autonomia para tomar as suas decisões. A única possibilidade é a de todos os clubes concordarem dos dois mudarem de time. Agora, por favor nada de comparações com o corte de Ricardinho da seleção, uma coisa é uma coisa e a outra é outra. 

Acompanhem abaixo declarações dos dois atletas nos últimos dias: 

“Foi uma baita sacanagem, não tem como perdoar. Acabaram com nossa carreira no Brasil nesta temporada. Não podemos mais jogar por nenhum clube. Foi o que mais machucou . O problema é que o posicionamento de dispensar os atletas não era esperado. “Fora as derrotas, [não aconteceu] nada mais. É muito difícil ficar alegre se está perdendo. Estamos acostumados a vencer. É frustrante. Estávamos passando vergonha. Queríamos vencer e não estávamos conseguindo" - Rodrigão  

“Estou triste pelo que aconteceu, o projeto é bom, o grupo de jogadores é unido e tenho a consciência tranquila de que sempre me empenhei ao máximo, sempre fiz o meu melhor dentro e fora de quadra pelo clube. Gostaria que nada disso estivesse acontecendo, que eu pudesse encerrar o meu contrato jogando pela equipe, sou um profissional e me identifiquei com o clube”, Marcelinho

Fonte e fotos: Uol Esportes

2 comentários:

Giovani Mattiollo disse...

hehehe, bom pra eles né.

Abraço

http://gremista-sangueazul.blogspot.com

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Rafaela
Desejo a você e família, um Feliz Ano Novo, cheio de realizações, com saúde e paz.
Bjux